Você está pesquisando por News?
+55 11 94792-8632
Busca em Primeira Mulher a Comandar o Olodum 18-02-2020: 57090 (1 - 1 de 16)
Exibição:
Thumb pequena
  • Thumb pequena
  • Thumb média
  • Thumb grande
Autorizações
  • Autorizações
  • Com Model Release
  • Sem Model Release
20 fotos por página
  • 20 fotos por página
  • 40 fotos por página
  • 80 fotos por página





Carregando...
Primeira mulher a comandar o Olodum

Andreia Reis Maestrina do Olodum no ...
Data da imagem : 18/02/2020
Cod. da imagem: 1876091
Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Direito Controlado




Andreia Reis Maestrina do Olodum no ensa

Data da imagem : 18/02/2020

Cod. da imagem: 1876091

Andreia Reis Maestrina do Olodum no ensa

Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Percussionista de Salvador é a primeira mulher maestrina de um bloco afro do mundo. A musicista Andréia Silva Reis, 44 anos, vai comandar 200 percussionistas do Olodum durante o carnaval da Bahia de 2020. Andreia é uma das primeiras mulheres integrantes do Olodum, bloco afro que tem mais de 40 anos de existência. Em agosto de 1987 ela entrou no grupo após ser vista por um de seus mais importantes membros, Neguinho do Samba, que a flagrou batucando em baldes no meio da rua e a convidou para aprender percussão no grupo. No mesmo período, Andreia tinha uma pequena banda que fazia sons com latas e baldes e foi chamada para fazer a inscrição para se aperfeiçoar no instrumento. Segundo o relato da mesma, foi o próprio Neguinho do Samba que ordenou a aceitação dela e de outras amigas no Olodum, que, no início, as faziam treinar à parte dos outros integrantes até se aprimorar e só aceitava homens em seu quadro de músicos. Este ano, o bloco faz uma homenagem às mulheres com o tema "Mãe, Mulher, Maria Olodum" e terá, pela primeira vez em sua história, uma pessoa do sexo feminino como maestra do carnaval de um dos blocos mais conhecidos do planeta. Na foto, Andreia durante ensaio no estudio do Olodom em Salvador, BA, nesta terça-feira, 18.

Criativa RM
Primeira mulher a comandar o Olodum

Data da imagem : 18/02/2020
Cod. da imagem: 1876090
Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Direito Controlado




Data da imagem : 18/02/2020

Cod. da imagem: 1876090

Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Percussionista de Salvador é a primeira mulher maestrina de um bloco afro do mundo. A musicista Andréia Silva Reis, 44 anos, vai comandar 200 percussionistas do Olodum durante o carnaval da Bahia de 2020. Andreia é uma das primeiras mulheres integrantes do Olodum, bloco afro que tem mais de 40 anos de existência. Em agosto de 1987 ela entrou no grupo após ser vista por um de seus mais importantes membros, Neguinho do Samba, que a flagrou batucando em baldes no meio da rua e a convidou para aprender percussão no grupo. No mesmo período, Andreia tinha uma pequena banda que fazia sons com latas e baldes e foi chamada para fazer a inscrição para se aperfeiçoar no instrumento. Segundo o relato da mesma, foi o próprio Neguinho do Samba que ordenou a aceitação dela e de outras amigas no Olodum, que, no início, as faziam treinar à parte dos outros integrantes até se aprimorar e só aceitava homens em seu quadro de músicos. Este ano, o bloco faz uma homenagem às mulheres com o tema "Mãe, Mulher, Maria Olodum" e terá, pela primeira vez em sua história, uma pessoa do sexo feminino como maestra do carnaval de um dos blocos mais conhecidos do planeta. Na foto, Andreia durante ensaio no estudio do Olodom em Salvador, BA, nesta terça-feira, 18.

Criativa RM
Primeira mulher a comandar o Olodum

Andreia Reis Maestrina do Olodum no ...
Data da imagem : 18/02/2020
Cod. da imagem: 1876089
Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Direito Controlado




Andreia Reis Maestrina do Olodum no ensa

Data da imagem : 18/02/2020

Cod. da imagem: 1876089

Andreia Reis Maestrina do Olodum no ensa

Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Percussionista de Salvador é a primeira mulher maestrina de um bloco afro do mundo. A musicista Andréia Silva Reis, 44 anos, vai comandar 200 percussionistas do Olodum durante o carnaval da Bahia de 2020. Andreia é uma das primeiras mulheres integrantes do Olodum, bloco afro que tem mais de 40 anos de existência. Em agosto de 1987 ela entrou no grupo após ser vista por um de seus mais importantes membros, Neguinho do Samba, que a flagrou batucando em baldes no meio da rua e a convidou para aprender percussão no grupo. No mesmo período, Andreia tinha uma pequena banda que fazia sons com latas e baldes e foi chamada para fazer a inscrição para se aperfeiçoar no instrumento. Segundo o relato da mesma, foi o próprio Neguinho do Samba que ordenou a aceitação dela e de outras amigas no Olodum, que, no início, as faziam treinar à parte dos outros integrantes até se aprimorar e só aceitava homens em seu quadro de músicos. Este ano, o bloco faz uma homenagem às mulheres com o tema "Mãe, Mulher, Maria Olodum" e terá, pela primeira vez em sua história, uma pessoa do sexo feminino como maestra do carnaval de um dos blocos mais conhecidos do planeta. Na foto, Andreia durante ensaio no estudio do Olodom em Salvador, BA, nesta terça-feira, 18.

Criativa RM
Primeira mulher a comandar o Olodum

Andreia Reis Maestrina do Olodum no ...
Data da imagem : 18/02/2020
Cod. da imagem: 1876088
Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Direito Controlado




Andreia Reis Maestrina do Olodum no ensa

Data da imagem : 18/02/2020

Cod. da imagem: 1876088

Andreia Reis Maestrina do Olodum no ensa

Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Percussionista de Salvador é a primeira mulher maestrina de um bloco afro do mundo. A musicista Andréia Silva Reis, 44 anos, vai comandar 200 percussionistas do Olodum durante o carnaval da Bahia de 2020. Andreia é uma das primeiras mulheres integrantes do Olodum, bloco afro que tem mais de 40 anos de existência. Em agosto de 1987 ela entrou no grupo após ser vista por um de seus mais importantes membros, Neguinho do Samba, que a flagrou batucando em baldes no meio da rua e a convidou para aprender percussão no grupo. No mesmo período, Andreia tinha uma pequena banda que fazia sons com latas e baldes e foi chamada para fazer a inscrição para se aperfeiçoar no instrumento. Segundo o relato da mesma, foi o próprio Neguinho do Samba que ordenou a aceitação dela e de outras amigas no Olodum, que, no início, as faziam treinar à parte dos outros integrantes até se aprimorar e só aceitava homens em seu quadro de músicos. Este ano, o bloco faz uma homenagem às mulheres com o tema "Mãe, Mulher, Maria Olodum" e terá, pela primeira vez em sua história, uma pessoa do sexo feminino como maestra do carnaval de um dos blocos mais conhecidos do planeta. Na foto, Andreia durante ensaio no estudio do Olodom em Salvador, BA, nesta terça-feira, 18.

Criativa RM
Primeira mulher a comandar o Olodum

Andreia Reis, maestrina do Olodum no ...
Data da imagem : 18/02/2020
Cod. da imagem: 1876087
Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Direito Controlado




Andreia Reis, maestrina do Olodum no ens

Data da imagem : 18/02/2020

Cod. da imagem: 1876087

Andreia Reis, maestrina do Olodum no ens

Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Percussionista de Salvador é a primeira mulher maestrina de um bloco afro do mundo. A musicista Andréia Silva Reis, 44 anos, vai comandar 200 percussionistas do Olodum durante o carnaval da Bahia de 2020. Andreia é uma das primeiras mulheres integrantes do Olodum, bloco afro que tem mais de 40 anos de existência. Em agosto de 1987 ela entrou no grupo após ser vista por um de seus mais importantes membros, Neguinho do Samba, que a flagrou batucando em baldes no meio da rua e a convidou para aprender percussão no grupo. No mesmo período, Andreia tinha uma pequena banda que fazia sons com latas e baldes e foi chamada para fazer a inscrição para se aperfeiçoar no instrumento. Segundo o relato da mesma, foi o próprio Neguinho do Samba que ordenou a aceitação dela e de outras amigas no Olodum, que, no início, as faziam treinar à parte dos outros integrantes até se aprimorar e só aceitava homens em seu quadro de músicos. Este ano, o bloco faz uma homenagem às mulheres com o tema "Mãe, Mulher, Maria Olodum" e terá, pela primeira vez em sua história, uma pessoa do sexo feminino como maestra do carnaval de um dos blocos mais conhecidos do planeta. Na foto, Andreia durante ensaio no estudio do Olodom em Salvador, BA, nesta terça-feira, 18.

Criativa RM
Primeira mulher a comandar o Olodum

Data da imagem : 18/02/2020
Cod. da imagem: 1876086
Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Direito Controlado




Data da imagem : 18/02/2020

Cod. da imagem: 1876086

Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Percussionista de Salvador é a primeira mulher maestrina de um bloco afro do mundo. A musicista Andréia Silva Reis, 44 anos, vai comandar 200 percussionistas do Olodum durante o carnaval da Bahia de 2020. Andreia é uma das primeiras mulheres integrantes do Olodum, bloco afro que tem mais de 40 anos de existência. Em agosto de 1987 ela entrou no grupo após ser vista por um de seus mais importantes membros, Neguinho do Samba, que a flagrou batucando em baldes no meio da rua e a convidou para aprender percussão no grupo. No mesmo período, Andreia tinha uma pequena banda que fazia sons com latas e baldes e foi chamada para fazer a inscrição para se aperfeiçoar no instrumento. Segundo o relato da mesma, foi o próprio Neguinho do Samba que ordenou a aceitação dela e de outras amigas no Olodum, que, no início, as faziam treinar à parte dos outros integrantes até se aprimorar e só aceitava homens em seu quadro de músicos. Este ano, o bloco faz uma homenagem às mulheres com o tema "Mãe, Mulher, Maria Olodum" e terá, pela primeira vez em sua história, uma pessoa do sexo feminino como maestra do carnaval de um dos blocos mais conhecidos do planeta. Na foto, Andreia durante ensaio no estudio do Olodom em Salvador, BA, nesta terça-feira, 18.

Criativa RM
Primeira mulher a comandar o Olodum

Andreia Reis, Maestrina do Olodum
Data da imagem : 18/02/2020
Cod. da imagem: 1875680
Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Direito Controlado




Andreia Reis, Maestrina do Olodum

Data da imagem : 18/02/2020

Cod. da imagem: 1875680

Andreia Reis, Maestrina do Olodum

Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Percussionista de Salvador é a primeira mulher maestrina de um bloco afro do mundo. A musicista Andréia Silva Reis, 44 anos, vai comandar 200 percussionistas do Olodum durante o carnaval da Bahia de 2020. Andreia é uma das primeiras mulheres integrantes do Olodum, bloco afro que tem mais de 40 anos de existência. Em agosto de 1987 ela entrou no grupo após ser vista por um de seus mais importantes membros, Neguinho do Samba, que a flagrou batucando em baldes no meio da rua e a convidou para aprender percussão no grupo. No mesmo período, Andreia tinha uma pequena banda que fazia sons com latas e baldes e foi chamada para fazer a inscrição para se aperfeiçoar no instrumento. Segundo o relato da mesma, foi o próprio Neguinho do Samba que ordenou a aceitação dela e de outras amigas no Olodum, que, no início, as faziam treinar à parte dos outros integrantes até se aprimorar e só aceitava homens em seu quadro de músicos. Este ano, o bloco faz uma homenagem às mulheres com o tema "Mãe, Mulher, Maria Olodum" e terá, pela primeira vez em sua história, uma pessoa do sexo feminino como maestra do carnaval de um dos blocos mais conhecidos do planeta. Na foto, Andreia Silva Reis.

Criativa RM
Primeira mulher a comandar o Olodum

Andreia Reis - Maestrina do Olodum
Data da imagem : 01/03/2019
Cod. da imagem: 1875688
Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Direito Controlado




Andreia Reis - Maestrina do Olodum

Data da imagem : 01/03/2019

Cod. da imagem: 1875688

Andreia Reis - Maestrina do Olodum

Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Percussionista de Salvador é a primeira mulher maestrina de um bloco afro do mundo. A musicista Andréia Silva Reis, 44 anos, vai comandar 200 percussionistas do Olodum durante o carnaval da Bahia de 2020. Andreia é uma das primeiras mulheres integrantes do Olodum, bloco afro que tem mais de 40 anos de existência. Em agosto de 1987 ela entrou no grupo após ser vista por um de seus mais importantes membros, Neguinho do Samba, que a flagrou batucando em baldes no meio da rua e a convidou para aprender percussão no grupo. No mesmo período, Andreia tinha uma pequena banda que fazia sons com latas e baldes e foi chamada para fazer a inscrição para se aperfeiçoar no instrumento. Segundo o relato da mesma, foi o próprio Neguinho do Samba que ordenou a aceitação dela e de outras amigas no Olodum, que, no início, as faziam treinar à parte dos outros integrantes até se aprimorar e só aceitava homens em seu quadro de músicos. Este ano, o bloco faz uma homenagem às mulheres com o tema "Mãe, Mulher, Maria Olodum" e terá, pela primeira vez em sua história, uma pessoa do sexo feminino como maestra do carnaval de um dos blocos mais conhecidos do planeta. Na foto, Andreia Silva Reis.

Criativa RM
Primeira mulher a comandar o Olodum

Andreia Reis, Maestrina do Olodum
Data da imagem : 01/03/2019
Cod. da imagem: 1875687
Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Direito Controlado




Andreia Reis, Maestrina do Olodum

Data da imagem : 01/03/2019

Cod. da imagem: 1875687

Andreia Reis, Maestrina do Olodum

Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Percussionista de Salvador é a primeira mulher maestrina de um bloco afro do mundo. A musicista Andréia Silva Reis, 44 anos, vai comandar 200 percussionistas do Olodum durante o carnaval da Bahia de 2020. Andreia é uma das primeiras mulheres integrantes do Olodum, bloco afro que tem mais de 40 anos de existência. Em agosto de 1987 ela entrou no grupo após ser vista por um de seus mais importantes membros, Neguinho do Samba, que a flagrou batucando em baldes no meio da rua e a convidou para aprender percussão no grupo. No mesmo período, Andreia tinha uma pequena banda que fazia sons com latas e baldes e foi chamada para fazer a inscrição para se aperfeiçoar no instrumento. Segundo o relato da mesma, foi o próprio Neguinho do Samba que ordenou a aceitação dela e de outras amigas no Olodum, que, no início, as faziam treinar à parte dos outros integrantes até se aprimorar e só aceitava homens em seu quadro de músicos. Este ano, o bloco faz uma homenagem às mulheres com o tema "Mãe, Mulher, Maria Olodum" e terá, pela primeira vez em sua história, uma pessoa do sexo feminino como maestra do carnaval de um dos blocos mais conhecidos do planeta. Na foto, Andreia Silva Reis.

Criativa RM
Primeira mulher a comandar o Olodum

Data da imagem : 01/03/2019
Cod. da imagem: 1875686
Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Direito Controlado




Data da imagem : 01/03/2019

Cod. da imagem: 1875686

Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Percussionista de Salvador é a primeira mulher maestrina de um bloco afro do mundo. A musicista Andréia Silva Reis, 44 anos, vai comandar 200 percussionistas do Olodum durante o carnaval da Bahia de 2020. Andreia é uma das primeiras mulheres integrantes do Olodum, bloco afro que tem mais de 40 anos de existência. Em agosto de 1987 ela entrou no grupo após ser vista por um de seus mais importantes membros, Neguinho do Samba, que a flagrou batucando em baldes no meio da rua e a convidou para aprender percussão no grupo. No mesmo período, Andreia tinha uma pequena banda que fazia sons com latas e baldes e foi chamada para fazer a inscrição para se aperfeiçoar no instrumento. Segundo o relato da mesma, foi o próprio Neguinho do Samba que ordenou a aceitação dela e de outras amigas no Olodum, que, no início, as faziam treinar à parte dos outros integrantes até se aprimorar e só aceitava homens em seu quadro de músicos. Este ano, o bloco faz uma homenagem às mulheres com o tema "Mãe, Mulher, Maria Olodum" e terá, pela primeira vez em sua história, uma pessoa do sexo feminino como maestra do carnaval de um dos blocos mais conhecidos do planeta. Na foto, Andreia Silva Reis.

Criativa RM
Primeira mulher a comandar o Olodum

Andréia Reis, Maestrina do Olodum
Data da imagem : 01/03/2019
Cod. da imagem: 1875685
Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Direito Controlado




Andréia Reis, Maestrina do Olodum

Data da imagem : 01/03/2019

Cod. da imagem: 1875685

Andréia Reis, Maestrina do Olodum

Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Percussionista de Salvador é a primeira mulher maestrina de um bloco afro do mundo. A musicista Andréia Silva Reis, 44 anos, vai comandar 200 percussionistas do Olodum durante o carnaval da Bahia de 2020. Andreia é uma das primeiras mulheres integrantes do Olodum, bloco afro que tem mais de 40 anos de existência. Em agosto de 1987 ela entrou no grupo após ser vista por um de seus mais importantes membros, Neguinho do Samba, que a flagrou batucando em baldes no meio da rua e a convidou para aprender percussão no grupo. No mesmo período, Andreia tinha uma pequena banda que fazia sons com latas e baldes e foi chamada para fazer a inscrição para se aperfeiçoar no instrumento. Segundo o relato da mesma, foi o próprio Neguinho do Samba que ordenou a aceitação dela e de outras amigas no Olodum, que, no início, as faziam treinar à parte dos outros integrantes até se aprimorar e só aceitava homens em seu quadro de músicos. Este ano, o bloco faz uma homenagem às mulheres com o tema "Mãe, Mulher, Maria Olodum" e terá, pela primeira vez em sua história, uma pessoa do sexo feminino como maestra do carnaval de um dos blocos mais conhecidos do planeta. Na foto, Andreia Silva Reis.

Criativa RM
Primeira mulher a comandar o Olodum

Andreia Reis, Maestrina do Olodum
Data da imagem : 02/02/2019
Cod. da imagem: 1875684
Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Direito Controlado




Andreia Reis, Maestrina do Olodum

Data da imagem : 02/02/2019

Cod. da imagem: 1875684

Andreia Reis, Maestrina do Olodum

Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Percussionista de Salvador é a primeira mulher maestrina de um bloco afro do mundo. A musicista Andréia Silva Reis, 44 anos, vai comandar 200 percussionistas do Olodum durante o carnaval da Bahia de 2020. Andreia é uma das primeiras mulheres integrantes do Olodum, bloco afro que tem mais de 40 anos de existência. Em agosto de 1987 ela entrou no grupo após ser vista por um de seus mais importantes membros, Neguinho do Samba, que a flagrou batucando em baldes no meio da rua e a convidou para aprender percussão no grupo. No mesmo período, Andreia tinha uma pequena banda que fazia sons com latas e baldes e foi chamada para fazer a inscrição para se aperfeiçoar no instrumento. Segundo o relato da mesma, foi o próprio Neguinho do Samba que ordenou a aceitação dela e de outras amigas no Olodum, que, no início, as faziam treinar à parte dos outros integrantes até se aprimorar e só aceitava homens em seu quadro de músicos. Este ano, o bloco faz uma homenagem às mulheres com o tema "Mãe, Mulher, Maria Olodum" e terá, pela primeira vez em sua história, uma pessoa do sexo feminino como maestra do carnaval de um dos blocos mais conhecidos do planeta. Na foto, Andreia Silva Reis.

Criativa RM
Primeira mulher a comandar o Olodum

Data da imagem : 22/09/2018
Cod. da imagem: 1875683
Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Direito Controlado




Data da imagem : 22/09/2018

Cod. da imagem: 1875683

Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Percussionista de Salvador é a primeira mulher maestrina de um bloco afro do mundo. A musicista Andréia Silva Reis, 44 anos, vai comandar 200 percussionistas do Olodum durante o carnaval da Bahia de 2020. Andreia é uma das primeiras mulheres integrantes do Olodum, bloco afro que tem mais de 40 anos de existência. Em agosto de 1987 ela entrou no grupo após ser vista por um de seus mais importantes membros, Neguinho do Samba, que a flagrou batucando em baldes no meio da rua e a convidou para aprender percussão no grupo. No mesmo período, Andreia tinha uma pequena banda que fazia sons com latas e baldes e foi chamada para fazer a inscrição para se aperfeiçoar no instrumento. Segundo o relato da mesma, foi o próprio Neguinho do Samba que ordenou a aceitação dela e de outras amigas no Olodum, que, no início, as faziam treinar à parte dos outros integrantes até se aprimorar e só aceitava homens em seu quadro de músicos. Este ano, o bloco faz uma homenagem às mulheres com o tema "Mãe, Mulher, Maria Olodum" e terá, pela primeira vez em sua história, uma pessoa do sexo feminino como maestra do carnaval de um dos blocos mais conhecidos do planeta. Na foto, Andreia Silva Reis.

Criativa RM
Primeira mulher a comandar o Olodum

Andreia Reis, Maestrina do Olodum
Data da imagem : 09/02/2018
Cod. da imagem: 1875682
Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Direito Controlado




Andreia Reis, Maestrina do Olodum

Data da imagem : 09/02/2018

Cod. da imagem: 1875682

Andreia Reis, Maestrina do Olodum

Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Percussionista de Salvador é a primeira mulher maestrina de um bloco afro do mundo. A musicista Andréia Silva Reis, 44 anos, vai comandar 200 percussionistas do Olodum durante o carnaval da Bahia de 2020. Andreia é uma das primeiras mulheres integrantes do Olodum, bloco afro que tem mais de 40 anos de existência. Em agosto de 1987 ela entrou no grupo após ser vista por um de seus mais importantes membros, Neguinho do Samba, que a flagrou batucando em baldes no meio da rua e a convidou para aprender percussão no grupo. No mesmo período, Andreia tinha uma pequena banda que fazia sons com latas e baldes e foi chamada para fazer a inscrição para se aperfeiçoar no instrumento. Segundo o relato da mesma, foi o próprio Neguinho do Samba que ordenou a aceitação dela e de outras amigas no Olodum, que, no início, as faziam treinar à parte dos outros integrantes até se aprimorar e só aceitava homens em seu quadro de músicos. Este ano, o bloco faz uma homenagem às mulheres com o tema "Mãe, Mulher, Maria Olodum" e terá, pela primeira vez em sua história, uma pessoa do sexo feminino como maestra do carnaval de um dos blocos mais conhecidos do planeta. Na foto, Andreia Silva Reis.

Criativa RM
Primeira mulher a comandar o Olodum

Andreia Reis, Maestrina do Olodum
Data da imagem : 07/01/2018
Cod. da imagem: 1875681
Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Direito Controlado




Andreia Reis, Maestrina do Olodum

Data da imagem : 07/01/2018

Cod. da imagem: 1875681

Andreia Reis, Maestrina do Olodum

Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Percussionista de Salvador é a primeira mulher maestrina de um bloco afro do mundo. A musicista Andréia Silva Reis, 44 anos, vai comandar 200 percussionistas do Olodum durante o carnaval da Bahia de 2020. Andreia é uma das primeiras mulheres integrantes do Olodum, bloco afro que tem mais de 40 anos de existência. Em agosto de 1987 ela entrou no grupo após ser vista por um de seus mais importantes membros, Neguinho do Samba, que a flagrou batucando em baldes no meio da rua e a convidou para aprender percussão no grupo. No mesmo período, Andreia tinha uma pequena banda que fazia sons com latas e baldes e foi chamada para fazer a inscrição para se aperfeiçoar no instrumento. Segundo o relato da mesma, foi o próprio Neguinho do Samba que ordenou a aceitação dela e de outras amigas no Olodum, que, no início, as faziam treinar à parte dos outros integrantes até se aprimorar e só aceitava homens em seu quadro de músicos. Este ano, o bloco faz uma homenagem às mulheres com o tema "Mãe, Mulher, Maria Olodum" e terá, pela primeira vez em sua história, uma pessoa do sexo feminino como maestra do carnaval de um dos blocos mais conhecidos do planeta. Na foto, Andreia Silva Reis.

Criativa RM
Primeira mulher a comandar o Olodum

Andreia Reis, Maestrina do Olodum
Data da imagem : 28/02/2017
Cod. da imagem: 1875679
Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Direito Controlado




Andreia Reis, Maestrina do Olodum

Data da imagem : 28/02/2017

Cod. da imagem: 1875679

Andreia Reis, Maestrina do Olodum

Crédito: Marcio Carqueija/ Fotoarena

Percussionista de Salvador é a primeira mulher maestrina de um bloco afro do mundo. A musicista Andréia Silva Reis, 44 anos, vai comandar 200 percussionistas do Olodum durante o carnaval da Bahia de 2020. Andreia é uma das primeiras mulheres integrantes do Olodum, bloco afro que tem mais de 40 anos de existência. Em agosto de 1987 ela entrou no grupo após ser vista por um de seus mais importantes membros, Neguinho do Samba, que a flagrou batucando em baldes no meio da rua e a convidou para aprender percussão no grupo. No mesmo período, Andreia tinha uma pequena banda que fazia sons com latas e baldes e foi chamada para fazer a inscrição para se aperfeiçoar no instrumento. Segundo o relato da mesma, foi o próprio Neguinho do Samba que ordenou a aceitação dela e de outras amigas no Olodum, que, no início, as faziam treinar à parte dos outros integrantes até se aprimorar e só aceitava homens em seu quadro de músicos. Este ano, o bloco faz uma homenagem às mulheres com o tema "Mãe, Mulher, Maria Olodum" e terá, pela primeira vez em sua história, uma pessoa do sexo feminino como maestra do carnaval de um dos blocos mais conhecidos do planeta. Na foto, Andreia Silva Reis.

Criativa RM
 
 
HOME    |    QUEM SOMOS    |    PARCEIROS    |    CONTATO    |    TERMO DE USO

COPYRIGHT 2008-2020 FOTOARENA. PROIBIDA A CÓPIA OU REPRODUÇÃO SEM AUTORIZAÇÃO PRÉVIA..